Galeria de Vídeo

  • Economias e mentiras

    Economias e mentiras
    O líder da bancada do PT, vereador Leo Dahmer, apresentou um pedido de informação na sessão de terça-feira (09), ao prefeito Pascoal para que revele a data de pagamento do adiantamento do 13º salário dos servidores nos últimos oito anos. Em sua fala, o parlamentar explica a natureza de sua dúvida. Na explicação acaba desconstituindo os argumentos apresentados nas matérias divulgadas pela Prefeitura
  • Bancada do PT de Esteio denuncia aumento de CCS do Governo Pascoal

    Bancada do PT de Esteio denuncia aumento de CCS do Governo Pascoal
    Bancada do PT de Esteio denuncia que CCS do Governo Pascoal podem ter aumento próximo a 40% e funcionalismo somente 7%, parcelado em três vezes.
  • Leo cobra agilidade da prefeitura nos projetos de combates às enchentes

    Leo cobra agilidade da prefeitura nos projetos de combates às enchentes
    Na sessão de terça-feira (09), o vereador Leo Dahmer (PT) utilizou o espaço das explicações pessoais para contrapor o posicionamento de representantes do Governo Municipal na Câmara que procuravam responsabilizar a gestão anterior por possíveis problemas de alagamentos. Leo enfatizou a necessidade da continuidade das obras e desafiou a atual gestão a fazer algo pela cidade. Na quarta-feira (10), a bancada do PT esteve na Caixa Econômica Federal para levantar informações sobre as obras de combate às cheias que estão paralisadas, e na noite os parlamentares ouviram a comunidade prejudicada, como segue informações abaixo: ESTEIO: REUNIÃO DE VEREADORES E CAIXA REFORÇA COBRANÇA POR OBRA DE DRENAGEM NA RUA BENTO GONÇALVES Os vereadores Márcio Alemão (PT), Leo Dahmer (PT) e o assessor do vereador Luiz Duarte (PT), Flávio Hiller, na quarta-feira, 10, reuniram com o gerente executivo da Caixa Econômica Federal, Luciano Pires da Silva, para informações relacionadas a convênios do poder público municipal com o governo federal. No encontro, os parlamentares questionaram os motivos da paralisação das obras de drenagem na rua Bento Gonçalves, que tem por objetivo a prevenção de alagamentos na região - e o prazo para que esta intervenção seja retomada. Segundo relatado, a Prefeitura de Esteio resolveu alterar o projeto, o que inviabilizou o andamento e a conclusão no prazo previsto, em 30 de maio. Para o vereador Márcio Alemão, o atraso da obra é preocupante, pois a chegada do período de chuvas alarma a comunidade em função do histórico de enchentes nos bairros São Sebastião e Ezequiel. "É importante destacar que a obra já poderia estar na fase final de execução, mesmo com os possíveis ajustes", disse Alemão, que ainda lembrou, "sei da necessidade desta intervenção para os moradores e saímos com a sinalização positiva da Caixa da importância no reinício da ação que está paralisada", concluiu. O convênio prevê o investimento total de R$ 2,45 milhão na instalação de nova rede de drenagem para a melhor vasão das águas das chuvas, reduzindo a possibilidade de alagamentos. Atualmente estão creditados na conta da Prefeitura R$ 467 mil e o restante será depositado conforme a intervenção tiver andamento.
  • Leo busca recursos para Esteio e alternativas para evitar a privatização das estatais gaúchas

    Leo busca recursos para Esteio e alternativas para evitar a privatização das estatais gaúchas
    O vereador Leo Dahmer (PT) participou, na sexta-feira (05), de um encontro de lideranças gaúchas que buscam alternativas para a superação da crise do Rio Grande do Sul sem a privatização das estatais. A atividade foi chamada pelo presidente da Assembleia Legislativa gaúcha, deputado Edgar Preto (PT) e contou com a participação de deputados da Assembleia Legislativa de Minas Gerais. O encontro tinha por objetivo reunir lideranças políticas interessadas na regulamentação da Lei Kandir, que ressarce os estados exportadores, a exemplo do Rio Grande do Sul, perdas que se acumularam desde a promulgação da Lei Complementar 87, de 1996. O tema passa a ter urgência diante da decisão do Supremo Tribunal Federal, que por onze votos a zero, definiu que o Congresso Nacional deve regulamentar a compensação da União aos estados no prazo de 12 meses. Esses recursos tornam a dívida do Rio Grande do Sul com a União significativamente menores, desobrigando o acordo feito entre o atual governador José Ivo Sartori e o presidente Michel Temer, que obriga a privatização de estatais gaúchas na área da geração de energia, do sistema financeiro e de saneamento. Com a regulamentação, cerca de R$ 3,9 bilhões devem ser repassados aos estados e, 25% deste valor, aos municípios. “Esteio deve ser contemplado com mais de R$ 10 milhões anuais, motivo suficiente para unir a classe política que defende os interesses de Esteio”, sustenta Leo. Vale lembrar que o vereador foi o único representante de Esteio que atendeu ao chamado da Assembleia Legislativa. Para o parlamentar esteiense, a Regulamentação da Lei Kandir é uma alternativa para enfrentar a dívida do Rio Grande do Sul sem a venda das estatais, conforme acordo firmado pelos líderes do eixo do golpe, representados por Sartori e Temer. No acordo, o Rio Grande do Sul ficaria três anos sem precisar pagar a dívida, depois retomaria. Leo não acha razoável vender estatais lucrativas para protelar o pagamento de uma dívida, pois posteriormente ela aumenta e a estrutura do Estado do Rio Grande do Sul teria mais dificuldades de saldar esses compromissos. “É um péssimo negócio para os gaúchos”, explica Leo. O deputado Federal Henrique Fontana (PT), que falou pela bancada gaúcha, chamou a atenção para os esquemas de corrupção que foram amplamente divulgados envolvendo as privatizações do saneamento e a Odebrecht. Fontana defende que o Rio Grande do Sul não deve seguir esse caminho de corrupção apontado pelo acordo de Temer e Sartori. Além de defender interesses privados e antinacionais, Fontana afirma que o acordo tira a autonomia política e econômica dos gaúchos e coloca o Rio Grande do Sul de joelhos perante a União.
  • Pela ampliação da economia popular solidária

    Pela ampliação da economia popular solidária
    O vereador Leo Dahmer (PT), defendeu em seu Grande Expediente, realizado na terça-feira (02), a manutenção e ampliação dos investimentos nos programas da Economia Popular Solidária. O parlamentar sustentou que o momento que o Brasil vive, como decorrência de uma política econômica equivocada que gera desemprego, as famílias esteienses podem encontrar na Economia Popular Solidária uma alternativa para superar a crise. Na condição de líder da bancada e presidente do Partido dos Trabalhadores de Esteio, Leo fez uma homenagem à Beti Soares, pelo seu falecimento. A liderança de Beti frente ao Partido Democrático Trabalhista (PDT), que presidiu no último período, foi fundamental para a representação de significativa parcela da população esteiense. Seu falecimento se deu em uma data emblemática, no dia 1º de maio, Dia do Trabalhador e logo após a realização do maior movimento de greve da história do Brasil. Ao tratar do assunto referente a Greve Geral, Leo fez um balanço do movimento do dia 28 de abril em Esteio. Em suas avaliações lamentou a imensa lacuna deixada pela classe política e pelas pessoas que se mostraram indiferentes ao movimento. Falou das razões da greve, que envolvem questões nacionais e locais. (assista ao vídeo)
  • Pela ampliação do Programa Integrado de Inclusão Social

    Pela ampliação do Programa Integrado de Inclusão Social
    Vereador Leo Dahmer (PT) luta pela ampliação dos recursos para o Programa Integrado de Inclusão Social. O parlamentar sustenta que R$ 16 mil por mês é um valor insuficiente para manter minimamente os padrões da prestação de serviços já oferecidos pelo programa à comunidade esteiense. “Esteio já teve mais de duas mil crianças no contraturno da escola e, com esses recursos é praticamente impossível manter esse serviço”, explica Leo. O vereador ressalta que a diminuição do programa afeta as pessoas que mais precisam do poder público.
« 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 »